VRB apresenta Portfólio de Projetos para 2020

O VRB acaba de definir o portfólio de projetos para o ano de 2020. São cinco iniciativas, com foco em educação e inclusão produtiva. Os projetos estão presentes em três regiões do país: Sudeste, Centro-Oeste e Nordeste.

O VRB está com excelentes perspectivas para o ano e em fase de amplo crescimento. O portfólio 2020 é composto por cinco organizações atuando no Sudeste, Centro-Oeste e Nordeste do país. As iniciativas foram selecionadas a partir da estratégia social do VRB, auxiliada por um Comitê Consultivo composto por nomes de grandes notáveis da área, tais como: Edmar Bacha, Anna Victoria Lemann, Bernardo Sorj, Simon Schwartzman, Rubem César Fernandes e Aik Brandão.

Na cidade de São Paulo, o VRB vai apoiar o Instituto PROA e a Generation, ambas com foco em inclusão produtiva. No estado do Rio de Janeiro, vai acontecer a ampliação do trabalho de união entre o esporte e a educação através da Academia Pérolas Negras e Junior Achievement.Em Goiás e Pernambuco, o Instituto BEĩ vai aplicar aulas de Educação Financeira para milhares de alunos das redes públicas estaduais.

Generation

A organização é o braço filantrópico da McKinsey e está presente em mais de 100 cidades de 13 países. Os projetos são de formação para o mercado de trabalho e os resultados mundiais acumulados impressionam. Até o momento, são mais de 33.000 jovens graduados, com um aumento de renda de duas a seis vezes após a formatura e taxa de empregabilidade de 81%.

Desenvolvedor Web Java Jr.

A carreira de desenvolvedor de sistemas, na linguagem Java, foi escolhida para alavancar a operação da Generation Brazil em 2019. Para 2020, estão programadas cerca de 1.000 vagas para jovens de baixa renda da periferia de São Paulo, com idades entre 20 e 29 anos. Os cursos têm duração de três meses. A expectativa é conseguir empregar mais de 80% dos jovens em até 90 dias após a formatura e proporcionar posições de trabalho com vencimentos médios entre R$ 2.000 e R$ 4.000.

Junior Achievement

Fundada em 1919, a Junior Achievement (JA) é uma das maiores organizações sociais incentivadoras de jovens do mundo. Os estudantes são desenvolvidos para o mercado de trabalho através do método “aprender-fazendo”. As oficinas criam caminhos de preparação dos beneficiários para carreiras e para vencer desafios da economia globalizada.

A JA tem presença mundial e mobiliza cerca de 470.000 voluntários e mais de 10 milhões de alunos anualmente. No Brasil, a organização já levou conteúdo para todos os estados e capacitou mais de cinco milhões de alunos com o apoio de mais de 150 mil voluntários. 

Em 2020, a organização vai atuar como peça fundamental do eixo de empreendedorismo do Pérolas Juniors – projeto da Academia Pérolas Negras com foco em esporte, educação e empreendedorismo para comunidades vulneráveis do RJ.

Academia Pérolas Negras

O ano de 2020 promete ser especial para os Pérolas Negras. A Academia de Futebol, nascida em 2011, no Haiti, vai passar a atender a um número de aproximadamente 2.000 jovens, de 11 territórios vulneráveis, espalhados por cinco cidades do estado do Rio de Janeiro. Isso representa um ganho de escala de aproximadamente dez vezes se comparado com o número de beneficiários contemplados em 2019.

O projeto Pérolas Juniors acredita no futebol como um instrumento de inserção social capaz de criar pontes entre o esporte e a educação. A ideia é preparar os jovens considerando o desenvolvimento para o esporte de alto desempenho, a educação e as bases necessárias para serem empreendedores.

Educação

Segundo números oficiais do Sistema de Avaliação da Educação Básica (SAEB), 70% dos alunos, do 3° ano do Ensino Médio, têm notas, de Português e Matemática, entre zero e três numa escala de zero até nove. Eles estão na faixa de aproveitamento considerada insuficiente. Para ajudar a reverter esse quadro, a Academia Pérolas Negras (APN) vai construir polos com computadores e internet banda larga para dar aulas de reforço escolar em Português e Matemática para aproximadamente 200 jovens em idade escolar.

Esporte

O futebol é um esporte de grande tradição em nosso país. Muitos dos craques mundiais saíram de favelas brasileiras e nenhuma Associação de Futebol Comunitária obteve retorno financeiro por isso.

Com o novo modelo, a APN vai apoiar jovens talentos das comunidades a alcançar o nível de alta performance esportiva e ajudar as Associações Comunitárias a conseguir empreender no mundo do futebol. Para isso, vão ser estruturadas metodologias de treinamento para os jogadores e gestão de futebol para os dirigentes dos clubes. Os meninos e meninas mais talentosos vão ser federados e ter uma chance real no mundo ultracompetitivo do futebol. Além disso, o Centro de Treinamento de Resende vai continuar operando plenamente com as categorias Sub 20 e Profissional.

Empreendedorismo

A Academia Pérolas Negras firmou uma parceria com a Junior Achievement e vai conceder oficinas de empreendedorismo para jogadores, entre 15 e 19 anos, e moradores das comunidades, com idades entre 20 e 24 anos. Com isso, espera-se estimular a economia criativa das favelas e ampliar o potencial de geração de renda das famílias dos locais atendidos. As oficinas vão formar 400 pessoas em uma metodologia já aplicada há mais de 100 anos e em 100 países ao redor do mundo.

Instituto PROA

Iniciado em 2007, o Instituto nasceu da reunião de um grupo de empresários com o sonho comum de ajudar jovens com poucas oportunidades a se tornar donos das próprias vidas. A organização oferece formação de qualidade e cria oportunidades para o ingresso no mercado de trabalho.

O público-alvo da instituição são jovens de baixa renda – com per capita familiarmédia de R$ 683 – estudantes de escolas públicas, na faixa etária de 16 a 19 anos, residentes na capital paulista. O processo seletivo é pautado na vontade do candidato em realmente querer participar do projeto. É esperado como resultado, um aumento de duas e três vezes no salário médio dos beneficiários.

Projetos apoiados

PROPROFISSÃO e PROA 4.0

As duas iniciativas têm expectativa de formação de 320 estudantes cada, totalizando 640 jovens beneficiados, em cursos semestrais com duração de 440 horas. As aulas possuem componentes técnicos e comportamentais. Ambas as iniciativas são voltadas à preparação para o mercado de trabalho. Enquanto o PROA 4.0 tem foco nas carreiras de tecnologia, com módulo técnico de desenvolvedor de sistemas, o PROPROFISSÃO está direcionado para a conquista do primeiro emprego na área administrativa.

Jovens a Bordo do Futuro

O projeto Jovens a Bordo do Futuro é uma solução educacional, completa e replicável, voltada a desenvolver de forma efetiva as competências comportamentais necessárias para os jovens serem bem-sucedidos após o ensino médio.

Vão ser entregues livros para 3.500 alunos e 100 professores participantes do projeto. O curso tem duração de 60 horas e vai ser realizado em 35 escolas públicas da Grande São Paulo.

Instituto BEĩ

A organização tem como objetivo contribuir para o desenvolvimento de políticas capazes de promover a alfabetização financeira dos jovens estudantes do sistema público de educação do país, especialmente para a transformação de atitudes em relação à vida escolar, familiar e social.

Aprendendo a lidar com o dinheiro

O projeto é direcionado para estudantes do 9° ano do Ensino Fundamental e do 1° ano do Ensino Médio. As aulas de Educação Financeira são baseadas no livro “Aprendendo a lidar com o dinheiro”, desenvolvido pela própria organização. Os professores e coordenadores pedagógicos são capacitados e as aulas articuladas à matriz curricular de matemática.

Em 2019, a iniciativa apoiada impactou aproximadamente 13.500 alunos, de 122 escolas, dos Estados de Pernambuco e Goiás. Para 2020, o Instituto BEĩ tem como meta contemplar 50.000 jovens, de 150 escolas públicas, dos mesmos Estados. Além disso, vai ser realizada uma avaliação de impacto liderada pelo economista Ricardo Madeira, membro do grupo de pesquisadores do Instituto Unibanco.