Aprendendo a lidar com dinheiro – Instituto BEI

Estudante com o material do curso

Aprendendo a lidar com dinheiro” é operado pelo Instituto BEI e recebeu cerca de 240 mil reais do VRB em 2019. O programa de ensino-aprendizagem em Educação Financeira, “Aprendendo a lidar com dinheiro”, é ancorado na matemática por meio de um material didático próprio, com linguagem simples e comum a todos. O método associa os conteúdos a problemas reais do dia-a-dia para despertar e mobilizar a atenção do estudante.

O programa começou a ser aplicado na Secretaria Estadual de Educação de Goiás em 2017. No primeiro biênio, 2017/2018, atingiu 29 escolas, sendo 12 na capital e 17 na região metropolitana de Goiás. A aplicação alcançou 4.800 alunos, distribuídos entre o 9° ano do Ensino Fundamental e o 1° ano do Ensino Médio. Foram capacitados 38 professores em 52 horas de formação presencial e continuada.

Números de Impacto 2019

Durante esse ano, houve a implantação do programa na rede de educação do Estado de Pernambuco, ampliação de atendimento na rede de Goiás e articulação com o Município de São Paulo.

Em Goiás, o impacto foi ampliado para 7.760 alunos, 85 Coordenadores Pedagógicos e 85 Professores de Matemática em 85 escolas de diferentes regiões do estado. Dentre as beneficiadas, encontram-se 25 escolas prioritárias, ou seja, estão entre as mais carentes da rede estadual e com maior necessidade de apoio para o desenvolvimento e melhoria de resultados.

Com a implantação em Pernambuco, foram impactados 5.688 alunos do 1° ano do Ensino Médio, 37 Coordenadores Pedagógicos e 52 Professores de Matemática. O programa alcançou 37 escolas da Região Metropolitana de Recife, sendo 36 de ensino integral e uma escola técnica.

Em um computo geral, foram beneficiados 13.488 alunos de 122 escolas e 259 educadores já receberam a capacitação em 92 horas de aulas presenciais e 24 horas EaD. O custo diário atual do projeto é de apenas 0,27 centavos por aluno.

Perspectivas para 2020

Para o próximo ano, é esperada a implantação em 100 escolas da rede de Goiás. Ainda estão aguardando confirmação: 40 escolas da rede de Pernambuco e 30 da rede municipal de São Paulo. Na capital paulista, foi necessário reestruturar o projeto por conta da troca do Secretário de Educação em julho de 2019. Agora, a metodologia está sendo reapresentada à rede após o atual Secretário, Bruno Caetano, propor uma nova estratégia de engajamento voluntário e espontâneo para as escolas.

Uma das metas de 2020 é a realização da avaliação de impacto baseada em uma pesquisa liderada pelo economista PhD Ricardo Madeira, membro do grupo de pesquisadores do Instituto Unibanco. O estudo deve avaliar as dimensões dos efeitos esperados na proficiência de matemática, de educação financeira e os benefícios adquiridos em relação ao entorno e à família.