VRB patrocina evento contra a vitimização policial no Rio

A vitimização policial é um dos maiores problemas da Segurança Pública no Estado do Rio.

De 13 a 15 de maio, aconteceu na capital, no auditório do Centro de Convenções Sul América, o “I Simpósio Nacional Sobre Vitimização Policial”, iniciativa que busca discutir e apontar soluções preventivas contra o alto índice de violência sofrida por policiais cariocas e fluminenses. E o VRB foi um de seus apoiadores.

No evento, o Coronel Ubiratan Angelo, ex-Comandante Geral da PMERJ e Analista Em Segurança Pública do “Compromisso Com O Rio”, representou o VRB falando sobre o apoio que vem sendo desenvolvido junto à PMERJ em suas estratégias e ações para reduzir esse triste quadro.

O simpósio contou também com a presença de 25 comandantes gerais do Brasil suas comitivas, ou seja, 92,6% do comando das 27 polícias militares do país, além de representantes dos Poderes Legislativo e Judiciário, do Governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, do Ministro da Justiça e Segurança Nacional, Sérgio Moro, e de gestores e empresários da área de segurança. E não para por aí.

O VRB vem atuando forte na cooperação técnica com a PMERJ, buscando melhorias institucionais de longa duração e entendendo e conscientizando policiais sobre seu papel e sua relação com as comunidades. Uma outra ação já em andamento é a pesquisa de opinião sobre vitimização policial, realizada por um grupo de especialistas junto ao Comando Geral da PM do Rio, que já ouviu sugestões e direções apontadas por 31.456 policiais da ativa.

É um grande desafio. Só em 2018 foram assassinados 92 oficiais no Estado. Número alto, é verdade, mas que, no entanto, já é o menor em 24 anos e representa uma redução de 43% em relação a 2017. Evolução, aliás, também apresentada no primeiro trimestre de 2019, com o número de mortes 58% menor que no mesmo período do ano passado. Uma ponta de esperança, mas que ainda não é suficiente. Por isso, o VRB vai continuar trabalhando duro, para que se reduzam cada vez mais essas perdas irreparáveis para a corporação e, principalmente, para as famílias e a sociedade.

Fonte: https://extra.globo.com/casos-de-policia/numero-de-pms-mortos-no-rio-cai-pela-metade-em-2019- 23566691.html